sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A popularidade do humor politicamente incorreto

Image and video hosting by TinyPicA moral e os bons costumes são questões prezadas pela sociedade, mas o humor utiliza da deturpação desse modelo para atingir, criticar e, por vezes, chocar, essa mesma sociedade. Apesar de tudo, muita gente se diverte com isso, sabendo distinguir a realidade da ficção humorística. 


Uma vez um amigo meu disse que tinha uma piada para contar. Ele perguntou para mim e para as outras pessoas que estavam ao redor: “vocês querem ver como um leproso prepara carne moída?” e logo em seguida esfregou as duas palmas das mãos uma contra a outra. As pessoas, já meio alteradas por conta do álcool, deram muita risada. Não que a piada fosse extraordinária, mas era de fácil compreensão. Na hora, ninguém questionou se era uma brincadeira maldosa, que tem pessoas que sofrem muito por conta da lepra. É preciso saber que o humor negro não foi feito para levar com seriedade ou com maldade, é apenas uma forma de achar graça na desgraça, o que é extremamente necessário para se levar uma vida mais alegre e descontraída. 

Imagine um mundo no qual o humor politicamente incorreto fosse proibido. Só haveria um humor infantil ou com piadas sutis (mais sutis que as piadas de humor inglês, como Monty Phyton, que tem algumas tiradas satíricas e críticas). 

Aliás, um dos grandes trunfos do humor é a crítica social, que é muito relevante para a formação das pessoas. O humor crítico por si só já é politicamente incorreto, pois vai contra as vertentes do conformismo social, portanto o politicamente incorreto é necessário na vida das pessoas para que elas saibam olhar o mundo com uma visão crítica e inconformada com as irregularidades. 

O humor politicamente incorreto foi aos poucos atingindo novos patamares. Os desenhos animados, que continham uma violência leve e divertida, como Tom E Jerry, Looney Tunes, agora possuem linguagem mais adulta, temas mais controversos e mais violência explícita, como South Park, Simpsons, Uma Família da Pesada, Beavis E Butt-Head. O humor ácido do Stand Up Comedy foi ganhando mais espaço. Filmes mais violentos e com humor negro estão mais populares do que nunca, como as películas de Tarantino e Robert Rodriguez. Mas mesmo agora, com mais espaço, o humor negro ou politicamente incorreto sempre esteve presente. O que seria de Woody Allen sem suas sacadas geniais? Eddie Murphy não tinha papas na língua em seus shows de stand up que, aliás, foi ganhando muita popularidade pelas piadas inescrupulosas que fazem o público ir ao delírio. Laranja Mecânica sempre foi controverso e isso causou alvoroço e sucesso, tanto do livro quando do filme. Lolita falava de um amor de um homem bem mais velho com uma adolescente, se a personagem fosse uma adulta, a obra não seria tão marcante. Por isso não podemos ser hipócritas e devemos abraçar o politicamente incorreto, que faz parte do senso crítico e criativo do ser humano. Claro que devemos distinguir o certo do errado na nossa vida pessoal, mas esse lado mais renegado deve sempre estar presente para que nós não sejamos tão inocentes e para que nós comecemos a observar a vida de uma forma diferente e com mais astúcia. 

A “maldade”, tão criticada nos julgamentos de que não é politicamente correto, está, invariavelmente, em todos nós, e não há “maldade” nenhuma nisso, pois é natural. A “maldade” está nos olhos de quem vê.


video
Quadro de Fernando Caruso no programa Estranhamente

Felipe Kowalski

Nenhum comentário: