quarta-feira, 31 de outubro de 2012

As Histórias Por Trás das Abóboras Sorridentes

A data de 31 de outubro é mundialmente conhecida como Halloween (Dia das Bruxas) festa típica dos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, mas de onde vem a misteriosa comemoração?

A palavra Halloween tem origem na igreja católica, vinda de uma tradição trazida pelo 1 de novembro, o Dia de Todos os Santos, já alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas, nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia). E os estudiosos tem outra versão, eles dizem de forma a encurtar o “All Hallows’Even” (Noite de Todos Os Santos), a véspera do “All Hallows’s Day” (Dia de Todos Os Santos), então as pessoas começaram a se referir a tal noite como “Hallowe’en” e mais tarde simplesmente “Halloween”.

Várias são as lendas por trás da data, uma lenda celta dizia que na noite do dia 31 de outubro, espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano, retornariam em busca de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano, os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os vivos com medo de serem possuídos, apagavam tochas e fogueiras de suas casas, para que elas se tornassem frias e desagradáveis e ainda vestiam fantasias e ruidosamente desfilavam pelo bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustas os espíritos que estavam em busca de corpos para possuir. Tais práticas célticas foram adotadas pelos Romanos, porém no primeiro século depois de cristo eles as abandonaram. O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava, foi aí que surgiu a interpretação como “Dia das Bruxas”.
Doces ou Travessuras?

Até mesmo a frase típica das crianças fantasiadas, que vemos presente nos tantos filmes que representam o Halloween, tem uma história por trás. Essa brincadeira vem de um costume europeu, chamado de “souling” (almejar). No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas, cristãos andavam de vila em vila pedindo “soul cakes” (bolos de alma), estes eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha. Para cada bolo ganho, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doados, acreditava-se que assim, as almas saiam do limbo para o céu.

Abóboras e Velas

A vela na abóbora não se tem certeza, mas provavelmente surge do folclore irlandês, Jack O’Lantern uma história de um homem chamado Jack, que era um alcoólatra grosseiro e numa noite de 31 de Outubro, bebeu excessivamente e o diabo veio para levar sua alma. Após morrer, por ter humilhado o diabo numa situação anterior, Jack não pode entrar no inferno, mas ganha uma brasa para iluminar seu caminho pelo limbo, ele então a coloca dentro de um nabo para que dure mais tempo. Os nabos na Irlanda eram usados como "lanterna do Jack " originalmente, mas quando os imigrantes vieram para América então, passa-se a usar uma abóbora, iluminada com brasa, para fazer tal representação. Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro, é Jack, procurando um lugar.

Bruxa

A importância das bruxas no Halloween é muito clara, o nome do dia já diz. Segundo lendas elas se reuniam duas vezes por ano, durante a mudança das estações que ocorria no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro. Chegavam voando em vassouras para festas chefiadas pelo próprio Diabo. Com seus poderes causavam todos os tipos de transtornos, transformavam-se em várias coisas, jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa. Para ver uma bruxa, devia-se vestir suas roupas do avesso e andar de costas, a meia noite, você veria uma. Os gatos pretos são constantemente associados às bruxas, pois lendas diziam que era o animal no qual elas se transformavam, outras pessoas acreditavam que estes eram os espíritos dos mortos. As superstições são as mais variadas, uma bastante conhecida é de que se cruzar com um gato preto, deve-se voltar todo o caminho de onde veio, pois se não o fizer, azar na certa.

E no Brasil, o dia das bruxas se infiltrou em nossas comemorações de forma tímida, pois pelos olhos do povo, o brasileiro gosta de festejar as coisas boas da vida, ou seja, cinismo e generalização afinal, em tempos atuais, estas festas tem extrema popularidade entre os jovens e até certos adultos, pois mesmo com sua pequena influência pode ser vista em escolas, clubes, casas noturnas e shoppings centers de várias cidades. Apesar de todo o esforço da imprensa em destacar essa festividade norte-americana, ainda são poucos os brasileiros que estão se apegando a festa. Particularmente, tenho visto algumas crianças saírem fantasiadas pelo bairro na noite de halloween pedindo doces, mas não acho que conseguirão ter tanto sucesso em transformar num costume.

As fantasias evoluíram bastante, hoje em dia personagens famosos aparecem bastante como fantasia, sejam eles bons, ruins, cômicos ou sombrios, as comemorações se tornaram muito divertidas e talvez hoje a história seja ignorada, é apenas o dia de se fantasiar, encontrar os amigos e se divertir ao máximo. Aproveitem o Halloween.

Leonardo Santos

Um comentário:

Albertina disse...

Como "Sam" supernaturla diz: -"Coisas diabolicas para roubar almas"
E assim segue a humaidade fazendo o errado achando lindo... Cultos, fantasias, doces para o Satanás...